ARTIGOS

Radiologia Pediátrica é tema de campanha na América do Norte O CRB adere a esta iniciativa

Em janeiro de 2008 entidades médicas da América do Norte lançaram uma campanha alertando a comunidade radiológica sobre os efeitos da radiação sobre a saúde das crianças submetidas a exames de diagnóstico por imagem.

Essa campanha, inicialmente focada no uso da Tomografia Computadorizada (TC), foi intitulada “Image Gently”. Entre as 13 associações envolvidas com a ação, as quais compõem o grupo Aliança pela Segurança na Radiação em Imagem Pediátrica, estão a Sociedade de Radiologia da América do Norte (RSNA), Sociedade de Radiologia e Academia Americana de Pediatria, entre outros.

“Crianças não são somente menores que adultos. Seus corpos são diferentes e requerem uma abordagem diagnóstica distinta”, diz a Dra. Marilyn Goske, chefe da Aliança pela Segurança na Radiação em imagem Pediátrica, membro da Sociedade de Radiologia Pediátrica e profissional do Cincinnati Children’s Hospital Medical Center “.

Esperamos mudar o modo como as crianças são examinadas nos EUA utilizando doses infantis de radiação”, acrescentou a radiologista.

De acordo com a campanha, os profissionais que realizam exames de Diagnósticos por Imagem em crianças devem diminuir significativamente a quantidade de radiação utilizada em crianças, examinar somente na área indicada e quando necessário e ainda realizar o exame apenas uma vez, já que exames de multifases como pré e pós-contraste, raramente são úteis nesses casos.

A campanha clama ainda pra que os profissionais da área trabalhem em conjunto: os radiologistas devem envolver os físicos do serviço pra que os protocolos e técnicos para que estes adotem as mudanças favoráveis à questão em sua prática profissional.

Em 2006 aproximadamente 4 milhões de exames de TC foram realizados nos EUA. Somente nesse país o número desses exames realizados nos últimos cinco anos triplicou. “Crianças são mais sensíveis à radiação que os adultos e a exposição cumulativa provavelmente causará efeitos adversos.

Estudos mostram que os profissionais que realizam exames podem não estar atentos a esta questão. Portanto, a campanha “Image Gently” ajudará na conscientização de que protocolos médicos em Diagnóstico por Imagem Pediátrico devem acompanhar o avanço tecnológico, declarou a Dra. Theresa C. McLoud, presidente da RSNA. Protocolos e pesquisas recentes que podem auxiliar radiologistas, tecnólogos, físicos e outros profissionais da área a determinar qual a técnica de radiação apropriada em Imagem Pediátrica e com a radiação emitida por esses exames podem afetar os pequenos pacientes a longo prazo estão disponíveis no site oficial da campanha. Mais informações: www.imagegently.org.


Preocupação também no Brasil

A problemática que motivou a campanha “Image Gently” também é uma preocupação entre profissionais brasileiros da área de Diagnóstico por Imagem.

“Essa iniciativa deve ser divulgada entre os que atuam nessa área, levando em conta que a abordagem diagnóstica em crianças merece a nossa preocupação no que se refere às doses de exposição à radiação ionizante.

Também temos que pensar em oferecer assistência adequada para o conforto e tranquilidade desses pacientes, bem como obter diagnósticos de qualidade”, declarou o Dr. André Scatigno Neto, presidente do Conselho Consultivo da SPR e um dos coordenadores do Curso de Pediatria da JPR. Ele ainda observa: “Também devemos divulgar essa questão no Brasil para melhor conhecimento dos profissionais do setor.

Fonte: Jornal da Imagem, Fevereiro 2008.

 

navega

CRB Imagem © 2010 - Todos os direitos reservados | Design: Marketeiros